sábado, 20 de novembro de 2010

A entrevista e abertura do federal

Senta que lá vem história. Eu adorava ler os relatos super completos, então vou tentar fazer o mesmo.

Chegamos bem cedo no prédio BIQ. Saí do trabalho 11h15 e 11h25 estávamos lá na Berrini. Deixamos o carro no estacionamento e fomos pro shopping almoçar e já procurar o HSBC.

Nossa entrevista era às 14 horas, mas nos liberaram às 13h15 pra subir. Acho que ficaram com dó de deixar a gente torrando no sol lá fora ou esperando em pé lá embaixo (onde tinha ar condicionado). Maridão foi de terno e eu de também estava com uma roupa quente. Quem vê pensa que a gente não é de SP...rs

Já lá no BIQ um tempo depois que subimos, eles ligaram a TV e ficamos vendo a famosa apresentação do Cirque du Soleil.
Próximo das 14h20 saiu da sala do Monsieur Daniel Leblanc um casal aprovado e mais ou menos 14h25 ele nos chamou. Ele indicou onde cada um de nós deveria sentar, perguntou se nós tínhamos feitos o dossier e depois perguntou de qual cidade éramos, pra qual cidade iríamos no Canadá, qual a nossa profissão (pra colocar no sistema) e começou a pedir os documentos: passaportes, certidão de nascimento e casamento. Na hora de colocar o meu nome no sistema ele ficou em dúvida, pq quando casei eu mudei meu nome. “Apaguei” um sobrenome e adicionei o do meu marido. Nessa hora rimos um pouco, pois falei que não seria mais a Sra. “Sobrenome do Marido”. Désolé! Rs Pra resumir ele disse que no Québec eu teria que dar o sobrenome do meu pai, pros documentos oficiais, pq lá não existe isso de adicionar o nome do marido. O maridão ap
roveitou pra perguntar se ele sabia que aqui os homens também podem mudar o nome e ele disse que sim e fez uma cara engraçada, achando bizarro! Rs

Na seqüência, veio os pedidos de diplomas e histórico. Ele pedia sempre os do meu marido, que é o aplicante principal e depois os meus. Eu vi que ele estava lendo o histórico da faculdade do meu marido e falei “ele era um bom aluno não?” e ele confirmou, disse que estava vendo isso...

Depois ele pediu os comprovantes de trabalho, perguntou se tínhamos a
carteira de trabalho. Confirmei e entreguei. Ele foi conferindo lá e anotando no formulário que enviamos, que estava na mesa dele. Ele anotava que estava ok na carteira de trabalho.
Pediu holerith também do último emprego, tanto meu quanto do marido. No caso do marido, só um emprego, o que ele tinha mais tempo de trabalho não era na carteira e sim cooperado. Ele explicou rapidamente, e pronto. Sem problemas. De qualquer modo eu tinha levados os holerith e várias coisas pra provar. O que ele apresentou foi só um certificado que tinha as datas que ele prestou serviço, o cargo e era reconhecido em cartório. Ele não pediu pra ver os comprovantes de trabalho no Canadá nem o visto...

No meio disso eu lembro que ele perguntou qual era a nossa motivação pra ir pro Québec. O maridão começou a responder, eu completei. :D

Próximo passo foram os comprovantes de francês. Entregamos os certificados da École e do TCF-Q do maridão. Depois ele pediu de Inglês e eu entreguei o meu. O meu marido não tinha então ele perguntou se usávamos o Inglês no trabalho. Maridão respondeu que só técnico, devido a profissão. Aí ele só virou pra mim e falou “vc usa né?”. Eu confirmei e pronto. Nenhuma pergunta em Inglês. Maridão respirou aliviado essa hora hehehe

Ele perguntou com o que pensávamos em trabalhar e o marido começou a falar so
bre os cargos, planos A, B e C, de acordo com a pesquisa que fizemos no site do Emploi Québec. Ele pediu pra ver o CV dele e o meu. Deu umas dicas no dele e no meu disse que tava ok. O maridão aproveitou pra explicar que os planos eram áreas que ele trabalhava hoje, e que já tinha trabalhado anteriormente. Depois ele pediu pra ver as minhas e eu mostrei a pesquisa de dois NOCs e expliquei que na verdade a minha profissão não tinha um nome especifico, mas que pesquisei dois NOCs. Ele concordou, pois tava difícil achar um nome pra minha profissão, no fim da entrevista ele ficou pesquisando um outro mas não achou...rs
Falei que a minha primeira experiência era em determinada área, e que pensava em começar assim, pra depois conseguir um emprego dentro da área em que trabalho atualmente. Também mostrei uma outra pesquisa que fiz que ele adorou!

Enquanto isso, ele foi olhando o fim do nosso dossier onde tinha as pesquisas sobre Québec, Montréal, o bairro escolhido pra morar em Montréal, Budget, Pesquisas de Aluguel, checklist com os primeiros passos em Montréal, Mapa da região mostrando empresas que poderíamos trabalhar e os órgãos que devemos ir.

No fim, acho que por ver o dossier, ele não fez mais nenhuma pergunta.
Ele deu algumas dicas no meu caso, da minha profissão. Falou que devo mandar os CVs e ver o que o mercado responde, e não ficar esperando pra começar "por baixo". Eu até falei que como já tinha alguns anos na área, isso poderia ser bom lá, e ele concordou. Mesmo eu não sendo aplicante principal, acabei falando muito pois ele se interessou bastante pela minha área, parecia que queria me ajudar mesmo. O maridão até brincou que ele nem quis saber de TI, acho que de tantos que vão lá da área...rsrs

Não lembro exatamente quando a impressora começou a funcionar, só sei que na hora eu dei um apertão na perna do maridão hehehehe

Ele deu pra nós verificarmos se o CSQ estava ok e começou a falar sobre a validação do diploma. Disse que pro meu marido será fácil, pra mim um pouco mais difícil, mas seria ótimo ter, pra empresas entenderem o que eu fiz. Ele fez uma pesquisa no Google e me entregou u
m papel com um link pra eu checar lá. Antes disso ele falou, "bom vcs entendem que estão aprovados né?" Oui, oui!! Rs
E assim terminou. Ele entregou todos os papéis e o guia Apprendre Le Québec. Saímos de lá 15h05 bem mais leves.

Nosso Dossier, o CSQ e o Apprendre Le Québec

Esqueci de falar, que em cima da mesa dele tinha um papel com os nossos pontos: 67. O mesmo que eu somei em casa. Pra passar precisa de 63, então acho que isso colaborou pros rumos da nossa entrevista, que não teve milhões de perguntas. Somando a isso, o horário já estava atrasado, estávamos com todos os documentos lá, o CV em francês (levem pq ele gosta de ver), e ele viu rapidamente o nosso dossier, então sabia que tínhamos feito uma boa pesquisa.

Na hora de ir embora, falei na recepção que iríamos no consulado e a moça colocou uns selinhos a mais no nosso ticket do estacionamento. Corremos pro HSBC (dica, entre pelo Hotel, subindo as escadas ele fica logo a esquerda), ficamos hiper contente em pagar toda aquela fortuna e fomos pro consulado.

No consulado a Fernanda nos recebeu super bem. Ela conferiu os documentos e viu que tínhamos errado em um formulário. Ela disse que todo mundo se confunde.
No formulário Background, pergunta 9, a segunra pergunta é "previoulsy sought refugee status in Canada or applied for a Canadian immigrant or permanent resident visa or visitor temporary resident visa?"
Ignoramos o fim e marcamos não...rs Na hora, lá no consulado corrigimos e marcamos sim.
Já saímos de lá com número do processo pra consultar no E-Cas, que ela informou que demorar para aparecer , pois por enquanto o processo está aguardando para ser analisado. Ela disse também que em alguns dias receberíamos uma carta confirmando a abertura do processo e que o prazo atual é de 10 meses.

12 comentários:

  1. Muito legal seu relato, ele foi bem detalhista. Qd eu fiz não mostrei budget, mapas, nada... das pesquisas só tive espaço pra mostrar sobre o mercado de trabalho, mas estar preparada dá segurança, então, é melhor q todos estejam prontos pra um entrevistador mais exigente
    e... prazo de 10 meses pro processo rsrsrs haja coração.
    Parabéns, de novo!
    Bjs

    ResponderExcluir
  2. Parabéns!!!

    A entrevista de vocês foi bem parecida com a nossa também... ele foi bem detalhista na questão das profissões e olhou todas as vagas e os CVs e também deu dicas pra melhorar nosso cv... E nada de perguntas em inglês!!!

    A unica coisa é que ele se esqueceu de dar pra gente o guia Apprendre Le Québec. Também quero um.. rsrsrsrs

    Agora vamos ficar também na expectativa do federal...

    Mais uma vez parabéns!
    Bjs

    ResponderExcluir
  3. Oieeee
    Vc acredita que quase liguei lá pedindo mesmo!? Só desencanei por que baixei um da net... rsrsrsrs
    Acabamos dando entrada no federal sem as traduçoes mesmo... falaram que não tinha problema, então tá!!!
    Bjs

    ResponderExcluir
  4. Olá Pat.

    Muito Obrigado por postar o relato da entrevista!!
    Nós estamos nos preparando para a nossa entrevista em São Paulo 07/12.. Pelo que vc comentou na comunidade brasilquebec será com o Daniel Lebanc né?
    Estamos bem ansiosos... mas lendos os relatos nos ajuda muito a focar nos principais pontos né.. muito bom!!!

    Uma pergunta... vcs escolheram Montreal ou Ville du Quebec?

    Abrçs

    http://nossosonhomontreal.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  5. Pat, parabéns de novo!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! Estou listando o seu relato lá no blog, ok? Lá naquela seção "li em um blog".
    bj!!

    ResponderExcluir
  6. Oi Pat, eu nome é Daniela e também estou no processo.
    Ainda não recebi a convocação paraa entrevista, mas estou suuuuuper ansiosa..rs
    Fiquei interessada, no seu post vc escreveu: "Esqueci de falar, que em cima da mesa dele tinha um papel com os nossos pontos: 67. O mesmo que eu somei em casa. Pra passar precisa de 63..."

    Existe algum simulador de pontuação? Se não, como vc fez a contagem?

    Ficarei muuuito agradecida se me responder!
    Estou criando um blog tbém, mas ainda não tá muito legal...rsrsr
    Meu e-mail é dmuniz@hotmail.ca.
    Obrigada e boa sorte pra gente! ;o)

    ResponderExcluir
  7. Oi Pat!

    Sou eu de novo, Daniela hehehe
    Queria deixar registrado a super atenção que vc deu para mim!
    Fiquei super surpresa ao ver seu e-mail ontem a noite.
    MUITO Obrigada Querida!

    São nesses pequenos detalhes que vamos conhecendo as pessoas.

    Obrigada
    Bjos

    ResponderExcluir
  8. Meu nome é Cris, adorei o relato da sua entrevista, estou disposta a percorrer esta longa estrada em busca do nosso sonho!
    Se tiver alguma dica útil e puder me enviar deixo meu email e desde já agradeço!
    Muito obrigada
    tianeans@hotmail.com

    ResponderExcluir
  9. Muito esclarecedor!!!

    Li seu relato, mais não entendi uma coisa. Vocês já tinhão morado ou trabalhado no
    Canadá?

    ResponderExcluir
  10. Anônimo...

    Sim, já tinhamos trabalhado lá, mas não no Québec, então oficialmente não conta pontos. Talvez para a questão de adaptação.

    ResponderExcluir
  11. Oi Pat!
    Sou nutri e meu marido estatístico....estamos montando dossiê, mas estamos meio perdidos...hehehe
    Parabéns pelo post, muito esclarecedor!!! Na verdade espero receber CSQ em casa....seria muita sorte....mas como fizemos TCF-q, quem sabe....
    Mas enfim, vcs montaram o dossiê todo em francês ou só cv foi em francês???

    Tks,

    bjs

    Vanessa Alves Piper

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Vanessa!
      Foi tudo feito em frances!

      Excluir